Quem pode se inscrever no Prouni em 2019?

Criado em 2004, o Programa Universidade para Todos (ProUni) disponibiliza bolsas de estudos integrais ou parciais para brasileiros de baixa renda que desejam estudar em instituições privadas de nível superior.

Para se inscrever no Prouni de 2019, o candidato deve informar o número de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que deve ter sido realizado no ano anterior, e a senha cadastrada no Enem. Não é permitido se cadastrar com o número de inscrição de outras edições do Enem.

A inscrição do Prouni é gratuita e deve ser feita exclusivamente pela internet, na página do Programa. Vale ressaltar que, ao efetuar a inscrição, o candidato precisa selecionar até duas opções de instituição, de curso e de turno, em ordem de preferência, de acordo com seu perfil.

Os candidatos que possuem alguma deficiência ou que se autodeclarem indígena, preto ou pardo podem optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas (cotas).

Mas quem pode se inscrever?

Para poder participar do Prouni 2019 é necessário que o candidato preencha alguns requisitos. Confira quais são eles:

  • O candidato deve possuir o ensino médio completo na rede pública de ensino ou na rede privada com bolsa integral;
  • Para garantir bolsa integral no Programa o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. Já para quem deseja ganhar bolsa parcial, é preciso comprovar renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. É importante verificar o valor do salário mínimo 2019;
  • Também é obrigatório que o candidato tenha participado do Enem no ano anterior e a nota do Exame deve ser no mínimo 450 pontos na prova de conhecimentos e não ter zerado a redação. No entanto, quanto maior a nota, maiores as chances de se obter o benefício;

Os professores da rede pública de ensino que também desejam garantir a bolsa do Prouni para cursos de licenciatura, normal superior e pedagogia não precisam comprovar renda familiar. No entanto, é preciso que o professor faça parte do quadro permanente da instituição e tenha tirado 450 pontos no Enem do ano anterior, além de não ter zerado a redação.

Depois que o Programa encerra o prazo de inscrição, o sistema do classifica os candidatos de acordo com as opções e as notas obtidas no Enem do ano anterior. Os estudantes são pré-selecionados em apenas uma das opções de curso, de acordo com a ordem escolhida na inscrição e o limite de bolsas disponíveis.